Páginas

10.18.2010

Vazio existencial



Não tenho sentimentos
Meu eu é monótono
Tudo que sabe sobre mim
É a mais pura mentira

Não penso em você
Não penso em mim
Só sigo em frente
No que os outros chamam de vida

Não tenho desejos
Não tenho rejeições
As vezes, me pergunto se sou humano
Me identifico com um demônio
Tenho características de anjo
Não sou nenhum desses três

Sou a ausência do amor
Sou a ausência do ódio
Sou a ausência da luz
Sou a expressão vazia no rosto da vítima humana

Não sou o alfa
Não sou o ômega
Não sou Deus
Sou o oposto disso tudo
Eu sou o NADA

12 comentários:

  1. interessante o texto, mas vc pensa assim de si mesmo ou só viajou no texto?

    ResponderExcluir
  2. Parecem ter sidos jorados diretos da alma estes versos!
    ESta sensação é impossível de ser sentida, ainda mais com a frugalidade do mundo acentuada!

    ;D

    ResponderExcluir
  3. Muitas vezes o nada é também o tudo.

    ResponderExcluir
  4. O título está bem apropriado, mas espero que nao esteja sentindo isso ou se estiver que isso passe o quanto antes.Abraços http://digho.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Concordo com Loverocklive: Muitas vezes o nada também é tudo. Só depende do ponto de vista.

    ResponderExcluir
  6. Nossa :c
    ser nada não é tão ruim, eu acho.
    gostei dos versos, e do tom de tristeza e vázio,
    estranho, mas gosto disso '-'

    ResponderExcluir
  7. Acho que me indenfico com seu texto. Gostei muito! Abraço...

    ResponderExcluir
  8. Acho que ser nada, é ser triste. Não ter sentimentos, é ser vazio. De qualquer forma é ser alguma coisa. Bastante reflexivo. Gostei disso.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  9. Meu deus! Perfeito.. Me parece qe este texto saiu diretamente de minha cabeça p/ sua.. Tudo qe sinto.. :)

    ResponderExcluir
  10. Nunca pensei que nada fosse tanta coisa! ficou bom, gostei hehehe...

    ResponderExcluir
  11. Li alguns de seus poemas e gostei.
    Gostei da forma que vc escreve.Vc dá detalhes em certas coisas e aborda assuntos interessantes.

    Na verdade eu não sei bem o que sou ou quem sou. às vezes me perco nesta indefinição de meu EU.
    Este poema ficou ótimo. Parabéns.
    Tô te seguindo.
    OBS: Achei seu blog na comunidade do orkut.

    ResponderExcluir